Skip to content

Poema da triste hora

26/10/2009

cemetery detail n.o.

 

Quando a senhora morte me visitou

Trazia  na bainha um punhal  pontiagudo

E uma sonata inédita de Chopin

Olhou-me com olhos lascivos

De quem desejou minha carne

Desde o dia em que nasci.

Abri meus braços num descuido

E ela me olhou com cara de desdém,

cravou a lâmina no meu peito

E sussurrou voluptosa

– Tolo,  o punhal é para os que ficam

A sonata, para os que vão…

E num salto desvencilhou-se do meu abraço

E traçando sutil bailado envolveu com graça Maria

Que entorpecida com o encanto da melodia

Foi seguindo a senhora morte

Enquanto minhas entranhas se esvaíam

num estranho ferimento sem sangue

mas de insuportável dor…

Anúncios
No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: